Planejamento financeiro feminino

Postado por sophiamind em 04/02/2010 às 16:56

Categoria: Aspirações Beleza Casa Consumo Educação Finanças | Tags: ,

Pesquisa realizada pela Sophia Mind, empresa de inteligência de mercado e pesquisa do grupo Bolsa de Mulher, aponta poder de decisão de compra das mulheres e o perfil de investimento feminino

Durante o segundo semestre de 2009, a Sophia Mind, empresa de pesquisa e inteligência de mercado do grupo Bolsa de Mulher, analisou o perfil de 2.096 brasileiras das cinco regiões do país para traçar um panorama da relação da mulher com o dinheiro.

A pesquisa aponta o alto poder de decisão de compra das mulheres e sua influência no orçamento familiar: 77% decidem pelo menos metade das compras domésticas. Esse percentual cresce e chega a 91% entre as casadas e 95% entre as separadas. No entanto, os homens ainda são os maiores responsáveis pelo pagamento das despesas da casa. No quesito participação feminina no pagamento das despesas domésticas, 39% das mulheres casadas afirmam que não contribuem nada ou apenas muito pouco na divisão das contas.

Por outro lado, quase metade das pesquisadas (46%) afirmaram investir parte de sua renda. O principal objetivo apontado por elas para os investimentos de longo prazo é a compra ou reforma de imóvel. Entre as mulheres investidoras, quase 1/3 (27%) faz investimentos com regularidade. Outros 28% investem eventualmente, quando há sobra de rendimentos. Comparando as principais regiões brasileiras, as paulistas se preocupam mais com a casa do que as fluminenses – 38% delas estão mais preocupadas em comprar ou reformar um imóvel enquanto apenas 27% das moradoras do Rio de Janeiro têm esse objetivo. As fluminenses são mais organizadas: 37% delas conseguem separar um montante fixo para investir. Entre as paulistas, somente 27% têm esse hábito.

O estudo também concluiu que as mulheres não estão preocupadas com a aposentadoria, nem mesmo as que já passaram dos 50 anos – aproximadamente 55% das entrevistadas nessa faixa etária ainda não possuem um plano definido de aposentadoria. No total, 73% delas não contam com nenhum plano de aposentadoria. No grupo das mulheres de até 25 anos, este percentual sobe para 85%.

Dentre os gastos evitáveis, os itens ligados à moda são os mais consumidos (26%), seguidos de perto por entretenimento (bares, restaurantes, danceterias) e produtos ou serviços para a casa (20% e 17% respectivamente). Os gastos com beleza ficaram em quarto lugar no ranking geral feminino.  As mulheres mais novas, de até 25 anos, gastam mais com itens da moda (34%). Já entre 26 e 30 anos os maiores gastos são divididos entre moda e entretenimento e, após os 30 anos, produtos e serviços para a casa representam os maiores gastos evitáveis (24%).

Baixe o PDF

Compartilhe:

Outros

Comente

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.